engajamento

Líder, o protagonista no engajamento das pessoas

Em face dos últimos acontecimentos mundiais, políticos e econômicos, e refletindo sobre as questões que hoje preocupam o mundo – ataques terroristas, migração de pessoas por questões econômicas, influência do crescimento de uma nação na economia das outras – vemos sinais de mudanças cada vez mais rápidas, vindos de todos os cantos do planeta. Tudo isso exige do líder uma nova mentalidade e protagonismo no engajamento das pessoas.

Mas, será que conseguimos perceber (compreender) o quanto estamos despreparados para reagir na velocidade necessária?

O MUNDO VUCA E A GESTÃO DO ENGAJAMENTO

Todavia, o termo VUCA, como acrônimo, foi adotado para descrever o ambiente de negócios caótico, turbulento e em rápida mudança que se tornou “normal”. Esse ambiente pode ser retratado da seguinte forma: o mundo está dominado pela volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade.

Agilidade, informação, experimentação e reestruturação são palavras-chave para lidar com esse “mundo VUCA”. Os líderes como agentes dessa transformação, precisam estar prontos para responder aos imprevistos, ter poder de reação e adaptação frente às mudanças. Sozinhos não fazem nada, precisam engajar seus times, não há outra saída.

Enfim, podemos citar como exemplo, as situações de fusões e aquisições ou de reestruturações que não têm uma boa gestão de mudança – os funcionários não compreendem o que de fato está ocorrendo e a espera para saber o que vai acontecer costuma ser mais traumática do que o fato em si.

Certamente, esses períodos de incerteza na maioria das vezes impactam negativamente a produtividade, as crenças e o potencial de inovação das organizações.

Contudo, as empresas podem elevar a capacidade de sua força de trabalho, promover o sucesso nos negócios, ampliando a possibilidade de seus colaboradores participarem das decisões sobre o seu trabalho, ajudando-os a atuarem em equipe de modo mais eficaz e melhorando as competências dos líderes. Como? Com atitudes de uma liderança antenada e conectada. Exemplos:

  • Realizar ações concretas para aumentar o envolvimento dos colaboradores na tomada de decisões e garantir que eles utilizem adequadamente suas habilidades.
  • Estimular a cooperação e apoiar os colaboradores a trabalharem juntos de modo mais colaborativo e eficaz para alcançar as metas de grupo.
  • Promover o compartilhamento de melhores práticas e criar mais oportunidades de formar equipes e realizar projetos transversos (que envolvam outras áreas além da sua).
  • Garantir que a comunicação interna reconheça e encoraje os esforços das pessoas e a cooperação entre elas, expressando também sua preocupação com o bem-estar de todos.

Aliás, as pessoas não precisam necessariamente gostar das mudanças, mas devem compreendê-las, pois num mundo disruptivo isto é um fator crítico de sucesso tanto para criar o ritmo “certo” quanto para desenvolver os comportamentos adequados.

Mas, levando-se em conta os fatores humanos, nas dimensões racional e emocional, certamente o líder terá o desafio de fazer a gestão da transformação e lidar com os efeitos no clima organizacional.

Para isso, vale até fazer um assessment que avalie o clima organizacional para a mudança e seus impactos. Isso inclui avaliar a maturidade para lidar com perdas e o nível de confiança da equipe.

PROTAGONISMO NA LIDERANÇA

Surpreendentemente, quando tocamos o fator humano, não existe uma fórmula e nem técnica. Porém, podemos pensar em posturas, atitudes e comportamentos que promovam que o engajamento ocorra.

Logo, aqui vão algumas dicas para você pensar:

  • Primeiramente, criar proximidade com sua equipe, estimulando que os colaboradores falem sobre a sua visão da organização, em todas as dimensões do negócio. Utilizando essas contribuições para identificar e promover melhorias na operação.
  • Elaborar planos de ação consistentes e focados na origem das questões e problemas, obtendo ganhos de produtividade e mobilização necessária para garantir resultados em sua área de atuação.
  • Traduzir a estratégia da empresa para a equipe, trazendo-a para o contexto de suas rotinas. Isso pode ampliar o reconhecimento e a visibilidade da equipe na organização.
  • Por fim, desenvolver suas equipes além da formação técnica, habilidades comportamentais, interpessoais, emocionais e cognitivas (conhecidas como soft skills). Isso fará toda diferença na adaptação e realização dos colaboradores no “mundo VUCA”.

Resumindo, todos esses exemplos favorecem a construção de uma relação de confiança com a sua equipe e levam ao engajamento. Concorda?!

“Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana”. Carl Jung

EDUCAÇÃO TRANSFORMADORA PARA GERAR ENGAJAMENTO

Concluindo, considerando a relevância do papel do líder com protagonismo no engajamento das pessoas, é mais que recomendável investir na sua formação para  lidar com pessoas e projetos de transformações, em especial aqueles que estão assumindo sua primeira liderança.

O team building e o coaching, executivo e de equipes, podem contribuir muito a tornar sua equipe mais entrosada e engajada, mais auto-gerenciável e auto-organizada, na realização de metas individuais e compartilhadas.

Aliás, aproveitando aqui o ensejo para compartilhar sobre um evento de liderança o Leader Minds 2019, em 11/12/19 na próxima quarta-feira no Ibmec Centro. A programação inclui palestras, um estudo de caso detalhado sobre a união Claro, NET e Embratel (com Walther Krause, MSc. PMP, que o viveu na pele) e sessões de mentoria com os autores do livro. Eu participarei como mentora em liderança e quero te encontrar lá. Me deixa saber disso!

Então, neste evento haverá o lançamento do livro Professional Leader: gerenciamento de projetos, que sou co-autora com mais 11 especialistas. Este é o primeiro livro que trata do tema de liderança de forma inovadora, didática e integrada com foco no profissional de projetos.

Garanta um exemplar do livro e a sua participação pelo link https://lnkd.in/ertbrqH.

Agora, novidades para 2020! O livro será o material de base para a nova formação preparada pelos co-autores em parceria com a Projectlab, chamada Professional Leader, e que vai prepará-los para tirar a certificação CPL – Certified Professional Leader®. Fiquem ligados e invistam na sua carreira.

Deixe seu comentário aqui e compartilhe sua experiência. Os que comentarem nesse post deixando o seu contato, terão a chance de receber um ligação minha e de participar de um sorteio para uma entrada gratuita no evento.

#lideresuacarreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *