A sua mentalidade está preparada para a Indústria 4.0?

Estamos vivendo numa era onde as tecnologias são capazes de transformar economias, mercados, empresas, empregos e a forma de viver e ver a vida. Neste blog, vou focar no impacto gerado pela Indústria 4.0 nas forças de trabalho dentro das organizações, mas principalmente na evolução do pensar humano frente a isso tudo.

A principal mudança que marca esse período não é a união das tecnologias físicas e digitais, e essa é a principal exploração de ideias e pontos de vista desse blog.

A (re)evolução tecnológica está impactando todas as áreas e indústrias, trazendo novas formas de fazer negócio, novas formas de organização e novas relações de trabalho. Carreiras tradicionais estão desaparecendo e novas trilhas de carreira estão se abrindo. Funções têm desaparecido ao mesmo tempo que novas surgem. Leia mais no blog sobre o Surgimento dos Super empregos nas organizações.

A automação, Inteligência Artificial (IA), Internet das Coisas (IoT), Machine Learning e tecnologias cognitivas são alguns exemplos de tecnologia que auxiliam na captura e na análise de uma grande quantidade de dados. E estes dados coletados são usados ​​para impulsionar ações inteligentes e soluções inovadoras, possibilitando o desenvolvimento de novos produtos e serviços, melhores maneiras de servir os clientes, novos tipos de trabalho e modelos de negócios diferenciados.

Porém, veja que interessante. Uma pesquisa realizada pela Deloitte em parceria com a Forbes com mais de 1.600 executivos de 19 países, revelou que poucas são as empresas que acreditam que seus negócios estejam preparados para as mudanças trazidas pela Indústria 4.0. A pesquisa levantou os impactos destas mudanças em quatro dimensões:

  1. Sociedade

Embora 87% dos executivos acreditem que a Quarta Revolução fornecerá mais igualdade e estabilidade social e econômica, menos de 1/4 acredita que suas organizações desempenham uma influência significativa na sociedade.

  1. Estratégia

Apenas 1/3 dos entrevistados ​​estão confiantes de que são capazes de agir como administradores da organização e apenas 14% deles estão confiantes de que suas empresas estão prontas para aproveitar as mudanças.

  1. Talento e força de trabalho

É essencial preparar os trabalhadores para se inserirem na era da Indústria 4.0. Apenas 1/4 dos executivos tem confiança de que utilizam as ferramentas certas ou que possuem o conjunto de habilidades necessárias para a força de trabalho.

  1. Tecnologia

A tecnologia é um diferencial poderoso do setor 4.0, e elas devem estar integradas em toda a organização. Poucos executivos afirmam ter um forte argumento comercial para investir em tecnologia avançada. Segundo eles, os obstáculos costumam ser a falta de alinhamento interno (43%), falta de colaboração com parceiros externos (38%) e foco no curto prazo (37%).

 

Uma nova mentalidade e o impacto das novas tecnologias na força de trabalho

Com o crescimento da robótica e da Inteligência Artificial, os empregos estão sendo reinventados. Porém, apesar da tecnologia estar avançando em um ritmo acelerado, muitas organizações ainda mantém estruturas e práticas desatualizadas.

O desafio das organizações é repensar a forma de se organizar e ter uma cultura e mentalidade para liderar e lidar com as mudanças internas e na nova economia. Aqui me refiro a: organizações mais horizontais, desaparecimento dos silos, diversidade, tecnologia e a experiência geral dos colaboradores. Para isso, será necessária a adoção de uma abordagem de gerenciamento de capital humano e da evolução do pensar humano para se adaptar, recriar e “sobreviver”.

Uma conclusão interessante (preocupante) segundo a pesquisa citada é que talento e recursos humanos são os tópicos menos discutidos dentro das empresas, estando no final da lista de prioridade. Muitas organizações ainda utilizam práticas antigas de treinamento, desenvolvimento e gerenciamento da cultura organizacional.

No meu ponto de vista, isso tende a mudar e não vai demorar muito. Acredito também que resistências sempre existirão e que poucos vão mover muitos.

As empresas, cada vez mais, vão precisar contar com uma liderança mais humana, antenada e que engaje verdadeiramente as pessoas. E que seja também capaz de desenvolver novas lideranças e formar equipes talentosas, fazendo com que compreendam os novos modelos de trabalho e as impulsione para serem agentes de mudança.

Essa integração entre tecnologia e trabalho humano estará cada vez mais presente, e as empresas precisam saber lidar com este novo cenário ou pelo menos começar a se preparar já! Por exemplo, trabalhos colaborativos entre humanos e robôs são cada vez mais vislumbrados pelas organizações.

Praticamente todos os níveis de habilidades serão afetados com a digitalização. Mas isso não significa que as máquinas substituirão completamente a atuação humana. O valor do trabalhador humano estará voltado para as soft skills como empatia, aprendizado contínuo, mentalidade ágil, liderança, criatividade e inteligência emocional. Leia mais sobre isso no blog: A empregabilidade no futuro dependerá ainda mais das habilidades humanas.

A Indústria 4.0 tem o potencial de criar oportunidades para novas funções – o trabalho humano integrado com a tecnologia para gerar maior inovação, ambientes de trabalho alternativos e reformulação de papéis e instituições.

Para isso, será preciso um processo de aquisição contínua de novas habilidades e conhecimentos – evolução permanente. Aqui estou me referindo a educação continuada, que é importantíssima para a empregabilidade do profissional e para o capital humano das organizações.

A Quarta Revolução Industrial tem o poder de mudar muitas coisas, mas uma coisa é certa: os executivos precisam desenvolver sua inteligência espiritual, que vai além da intelectual e da emocional. Aquela inteligência que mais do que saber tomar decisões inteligentes, é capaz de entender os impactos dessas decisões. Vou chamar de habilidade de evoluir o pensar humano, que exige qualidades de ter responsabilidade pessoal, compaixão e serviço ao próximo.

Está claro que as organizações que terão sucesso serão aquelas que abraçarem todas as facetas e as oportunidades de nova economia. Será que a sua empresa está preparada? Seu time está preparado?

O trabalho de coaching pode contribuir com esse processo de transformação, para ajudar lideranças e times a elevarem seu patamar de sucesso e seus níveis de performance através da cultura do crescimento e colaboração:

  • o “ser ensinável” e a duplicação de boas práticas aprendidas
  • o relacionamento interpessoal
  • o apoio e a influência positiva aos outros
  • o estar aberto a escutar e perguntar para trazer à tona o melhor dos indivíduos e times
  • a crença na indústria, na sua empresa, no seu serviço/produto e em si mesmo.

Preparado? Entre em contato que será um prazer conversar com você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *